Não poderia haver lugar melhor do que São Francisco para celebrar meu recomeço, confira o depoimento da Tatiana!

Mais uma amizade pra lá de especial que começou com um e-mail trocado no blog, se fortaleceu num café no centro de San Francisco e permanece nas recordações de uma experiência que vai muito além de aprender inglês. Confira o depoimento Tatiana Colturato no seu intercâmbio em San Francisco.

Planejamento

O planejamento da minha viagem foi uma etapa muito especial. Fazer intercâmbio era um daqueles desejos de adolescência que as exigências e projetos do dia a dia acabaram engolindo, mas uma pontinha de entusiasmo pelo projeto permaneceu mesmo na idade adulta.

Em 2013 houve uma reviravolta em minha vida. Fui diagnosticada com um câncer muito agressivo, Linfoma, e passei um ano e meio entre quimios e radioterapias.

Aquele foi um período de grande revisão de escolhas e de finalmente de me programar para colocar projetos em dia, afinal mesmo me considerando um exemplo em termos de saúde, pois já fui vegana e tinha uma rotina saudável com direito a meditação, leitura e exercícios, estava me deparando com a realidade de que a vida pode ser muito fugaz e que nem sempre está sob nosso controle. 

Além de um antigo projeto, viajar significou o fechamento de um grande ciclo e acho que não poderia haver lugar melhor do que São Francisco para celebrar meu recomeço!

Tati_depoimento

Tatiana Coulturato em San Francisco

Por que San Francisco?

Como eu iria viajar em Maio, precisava encontrar um local com o clima mais ameno, pois meu sistema imunológico estava enfraquecido ainda e não poderia me expor ao frio excessivo. Continuar lendo

Mariane conta com detalhes sobre sua experiência de estudar em San Francisco

Visitar San Francisco é um sonho para muitos, que tal aproveitar sua viagem e fazer um curso de inglês?

Mariane Nishida estudou em San Francisco durante duas semanas e conta com detalhes sobre seu planejamento, sua experiência com o translado, voos e conexões, a escola e acomodação. Confira:

Depoimento de Mariane 

Sempre sonhei em conhecer San Francisco! Seja por causa dos seriados famosos, dos filmes, ou porque muita gente foi e simplesmente amou! Enfim, o sonho se tornou realidade!

O planejamento

Eu havia planejado ir para lá em dezembro de 2014. O plano original era ficar alguns dias em San Francisco, alugar um carro, e passar pela famosa Highway 1 até Los Angeles. Entretanto, tive que postergar, mas finalmente neste ano surgiu a oportunidade de viajar novamente.

Como iria sozinha, resolvei mudar um pouco meus planos e ficar somente na cidade ao invés de viajar, aproveitando para fazer um curso de inglês,  já que o curso  seria ótimo para minha vida profissional, além da escola ser uma oportunidade para fazer amizades.

Pesquisei bastante sobre a cidade e escola, os blogs Acontece no Vale, e o Hotel Califórnia foram fundamentais para me ajudar com esta viagem. Fechei o curso, a passagem,  acomodação, e o plano saúde na agência CI – Unidade Paulista. O Eduardo que me atendeu lá foi super solícito, e como já havia morado em San Fran por um bom tempo, me deu várias dicas ótimas. O único inconveniente foi em relação à acomodação, que explicarei mais à frente.

A escola e o curso de inglês

Escolhi o curso de 2 semanas na escola St. Giles.

Prédio da St Giles ao lado da Ross no centro de San Francisco. Foto by Mariana.

Prédio da St Giles ao lado da Ross no centro de San Francisco. Foto by Mariane.

O preço é superior às outras escolas, porém a qualidade das aulas, a estrutura, e o staff são excelentes! Além disso a escola é super bem localizada! A minha teacher era muito boa e a cada 2 semanas você fazia um teste e recebia um feedback. Antes de ir tive receio de ter apenas adolescentes na minha sala, mas em maio – o mês que estive lá, não havia muitos não. A faixa de idade dos alunos era de 20 á 25, mas tinha gente de quase 30 como eu (rsrsrs). Também vi gente na faixa dos 40 em outras salas. Achei super democrático! Nada contra adolescentes, mas eu sei por experiência que quando há muitos adolescentes junto, a tendência é a aula não fluir da forma que deveria, e como ficaria apenas 2 semanas, queria aproveitar as aulas ao máximo. E também não tive contato com outros brasileiro na escola. O que foi excelente para treinar o idioma.

Acomodação

Quanto à acomodação, cheguei a cogitar ficar em homestay. Mas mudei de ideia pois todas eram bem afastadas do centro e por consequência, longe da escola. Como eu não queria pegar transporte público para ir e voltar, resolvi acatar a sugestão da CI, já que era a melhor acomodação que eles tinham: bem próximo à escola, com 99% de aprovação no Tripadvisor, então fechei com o US Hostels.

US Hostels - Post Street. San Francisco. Foto by Mariana.

US Hostels – Post Street. San Francisco. Foto by Mariane.

Só que foi a primeira vez que havia ficado em um hostel na vida. Mesmo tendo escolhido um quarto duplo com banheiro privativo e a minha colega francesa ter sido super gente boa, eu não me hospedaria novamente. Primeiro porque limpeza não era lá o forte deles. Segundo porque não achei o staff prestativo. Quando precisei, eles não foram nada simpáticos. E terceiro, apesar de ser bem localizado, próximo da Union Square, à noite eu achei meio ruim andar por lá, pois tinha muito homeless nas redondezas. Além disso, tive outros contratempos, como barulho de madrugada, uma hóspede roubou a chave do quarto de outra pessoa para roubar. Enfim, como disse, não me hospedaria novamente. Acho que hostel não é para mim mesmo!

A compra dos dólares

Referente aos dólares, como a cotação estava muito flutuante, fui comprando aos poucos até a data da viagem. Ligava praticamente todos os dias em várias casas de câmbio, mas a Confidence era a quem sempre tinha a melhor cotação, e por ventura, quando não tinham, eles acabavam cobrindo a concorrência. E optei por levar o cartão Travel Money, pois não acho seguro levar muito dinheiro em espécie.

Voo para San Francisco com conexão em Houston

Meu voo foi pela United Airlines. Na ida, fiz escala em Houston, e apesar do intervalo de 2 horas para pegar o voo para San Francisco, quaaase que não deu tempo devido a fila imensa na imigração, porque ainda precisava pegar minha mala e despachá-la novamente, e por uma falha minha de não rechecar o portão de embarque no painel do aeroporto. Então quando cheguei no portão que estava informado no bilhete, me avisaram que havia sido alterado para outro terminal super longe. Tão longe que era preciso pegar uma espécie de trem. Mas por fim, deu tudo certo.  Então, é bom se atentar a esse intervalo entre um voo e outro. As vezes é melhor fazer tudo com calma e esperar um pouquinho para embarcar, do que correr como uma louca e se desesperar com receio de perder o voo como Eu! (rsrsrs).

Voo de retorno para o Brasil com conexão em Chicago

Na volta fiz escala em Chicago, e tive a pior das impressões. Fui solicitar informação com a polícial do aeroporto, e ela foi extremamente grosseira! Depois, ao achar o local para retirar as malas, fiquei ali esperando e nada das minhas malas chegarem, começou a bater um desespero! Fui falar com a moça da companhia aérea, e ela também foi extremamente ríspida comigo, e me mostrou que diferentemente do que aconteceu na ida, a minha bagagem foi despachada diretamente para o Brasil. Ufa! rsrs

Translado do aeroporto para o centro de San Francisco

Referente ao transporte do aeroporto para o Hostel, contratei pelo site da Supper Shuttle antes de viajar, e paguei no cartão de crédito ida e volta, mas NÃO RECOMENDO! Quando cheguei em San Francisco, acho que esperei um tempão até que a van chegou para me pegar, aí entrou mais um casal e logo já haviam mais 4 pessoas lá dentro. Demorou MUITO para chegar no hostel porque havia tido uma corrida na cidade, e várias ruas principais estavam interditadas. No dia do meu retorno, a van simplesmente não apareceu para me levar ao aeroporto! Apesar de estar 20 minutos antes do horário combinado esperando na recepção, quando eu liguei na central de atendimento, informaram que a van passou e eu não estava lá, e que por isso eles não retornariam! Por sorte, o hotel conseguiu me encaixar na próxima van da empresa que eles utilizam para os hóspedes, aí cheguei a tempo.

Conclusão 

Tive alguns contratempos aqui e ali, mas nada disso tirou o encanto que foi esta viagem! Amei a experiência de ter ido sozinha, as aulas, as pessoas que conheci, e claro, a cidade que é maravilhosa!

Golden Gate Bridge. Foto by Mariana.

Golden Gate Bridge. Foto by Mariane.

San Francisco vista de Alcatraz

San Francisco – vista do Alcatraz. Foto by Mariane.

San Fran vista pela Coit Tower

San Francisco – vista da Coit Tower. Foto by Mariane.

E você já estudou em San Francisco?  Compartilhe com a gente sua experiência!

Como estudar inglês de graça em San Francisco – St Giles International

St Guiles International

A St Guiles International conta com escolas em 4 países: UK, Canadá, Estados Unidos e Brasil. Nos Estados Unidos as escolas são localizadas em Nova Iorque e São Francisco.

Diversos cursos são oferecidos na St Guiles de São Francisco, desde o curso de inglês geral, programas preparatórios para universidades, programas voltados para negócios, cursos preparatórios para os exames: TOEFL, TOEIC, Cambridge FCE, CPE e CAE, inglês para artes, design, turismo e até mesmo o Teacher Training.

O Teacher Training é um curso que prepara os alunos para se tornarem professores de inglês. Como estes futuros professores precisam de alunos para treinar, a escola oferece aulas gratuitas no período da tarde. Assim, enquanto os estudantes internacionais podem aprender ou aperfeiçoar o idioma, os professores são avaliados para poder receber a certificação.

Como participar das aulas gratuitas?

É preciso ir na recepção da escola que fica no terceiro andar e dizer que tem interesse em participar das aulas gratuitas de inglês, eles vão lhe pedir para fazer um teste de nivelamento. O teste tem aproximadamente 20 questões e depois tem que escrever um parágrafo respondendo a uma pergunta, como: porquê você quer estudar inglês em São Francisco.  Após o teste, eles vão lhe dizer qual turma você pode frequentar.

Imagem

St Giles International School.

As turmas para estas aulas de graça, são apenas: intermediário e avançado. Portanto, se o aluno não souber nada de inglês, um tiver um nível muito básico, será difícil de acompanhar. Lembrando que os professores ficam o tempo todo interagindo com os alunos e fazendo dinâmicas onde é preciso dar sua opinião e um conhecimento intermediário do idioma é bem importante para poder se expressar durante as aulas.

Turmas

Cada sala tem disponibilidade para aproximadamente 15 alunos. As aulas iniciam as 2 da tarde e é necessário chegar com antecedência, porque se a turma estiver lotada e for pontualmente 2 horas, não é permitido entrar na sala de aula. Também não há nenhum livro que é seguido diariamente. Os professores distribuem o material na hora com os exercícios sobre um determinado tema.

Metodologia

Tem dias que foco é gramática, outro conversação, outro leitura, outro dinâmicas, varia bastante conforme o professor. No fundo da sala ficam outros professores que avaliam a pessoa que está ensinando e geralmente tem dois professores em um mesmo dia. As aulas tem duração de até duas horas e acontecem durante todo o ano de segunda a sexta-feira. A escola está localizada ao lado da Ross no centro da cidade, na Market, número 785. Basta pegar o BART até a estação Powell que saíra em frente a St Guiles.

Imagem

St Giles International School.

Vale a pena assistir este vídeo sobre a escola para conhecer um pouco melhor sobre ela. No quarto andar, tem uma cantina onde é oferecido chá e café gratuito para os alunos, além de ter diversos lanches e refeições para a venda. Ao lado tem murais onde tem os eventos da escola e uma área bem legal para descanso e confraternização com os demais alunos.

Imagem

St Giles International School.

Só não vale falar português!