Dicas para passar pela imigração

Este é um post de Thiago Khoury, do blog Rodei, que embora tenha sido escrito em 2013, é um tema super atual e que gera dúvidas em muitas pessoas, a tal da imigração nos Estados Unidos. Vale a leitura. Segue:

Dicas para passar pela imigração nos Estados Unidos

Se tem uma coisa que brasileiro não gosta é a tal da imigração. É impressionante o número de turistas que perdem o sono quando lembram que devem passar pelos agentes de fronteira.

O medo tupiniquim não é difícil de ser explicado: brasileiros são realmente vistos com cautela em solo estrangeiro. Comecemos pelo nosso passaporte, um dos mais visados no mercado “paralelo”. Tanto a loira dos olhos azuis quanto o mulato com rastafári são legitimamente brasileiros, o que aumenta o interesse ilegal pelo nosso passaporte.

A população brasileira que imigra de forma ilegal é grande. Em 2003 era de aproximadamente 100 mil brasileiros por ano, um número que deve ter crescido bem de lá para cá.

Somos um país emergente onde a maior parte das viagens internacionais são conquistadas com uma dose cavalar de pesquisa e dedicação. Brasileiros dificilmente idealizam, organizam e realizam viagens internacionais em um espaço de tempo inferior a um ano, o que aumentam as expectativas e o receio de interrompê-la por algum motivo qualquer.

Passar pele imigração é uma coisa simples desde que feita de forma correta. Preste atenção nas dicas:

26091005 Dicas para passar pela imigração

Imigração. Fonte: Blog Rodei.

O agente de imigração tem o poder

Nenhum visto de turismo ou estudo em um passaporte comum garante sua entrada no país escolhido. Esteja você entrando em um país de visto previamente concedido ou não, quem decide se você vai ou não seguir viagem é o agente de fronteira que realiza a entrevista.

Se comporte da maneira formal

O momento mais sério da viagem é agora, por isso, comporte-se de maneira formal. Deixe os amigos de lado para que o comportamento (ou a entrevista) deles não influencie no seu resultado final.

Esteja pronto

Apresente-se com o passaporte aberto na página do visto ou de identificação, além do cartão de imigração entregue no avião já preenchido. Se você tiver um passaporte anterior, leve-o com você.

Fique calmo

Mantenha a calma, aja tranquilamente. Todo entrevistador tende a fazer cinco perguntas principais: de onde você é, o que veio fazer ali, quanto tempo irá ficar, quanto possui em dinheiro e onde pretende se hospedar. Seria interessante que você soubesse respondê-las na língua local, mas existem tradutores disponíveis e não há nada mais comum do que utilizá-los caso agente deseje chamá-los. Ninguém desembarca em um novo país exigindo a presença de tradutores.

Seja objetivo

Responda todas as perguntas de forma simples e direta, evite complicar ou treinar o idioma. Existem muitos agentes de fronteira que fazem cara feia e repetem as mesmas perguntas várias vezes, isso também é normal.

Fique preparado

Existem documentos essenciais, como algo que comprove sua profissão, algo que comprove sua hospedagem, dinheiro para permanência no exterior e passagens de volta. Uma pasta organizada, como disse antes, também é importante. Um cartão de visitas geralmente basta para comprovar sua ocupação.

Lembre-se que em toda viagem ao exterior os agentes de imigração podem cobrar por documentos que comprovem a contratação de um seguro médico de viagens.

Jamais minta

É possível que eles tentem confirmar qualquer informação durante a entrevista. Se você disser que trabalha em uma grande multinacional, é provável que peçam um cartão ou testem sua resposta no Google. Se você disser que está indo em um encontro de revistas em quadrinhos, não se assuste se te perguntarem quem é Peter Parker. Lembre-se que uma resposta pode levar a outra pergunta e qualquer contradição pode interromper a sua viagem.

Sobre contradições

Se você for estudante, como explicar uma viagem de férias em maio ou novembro? Diga apenas o essencial, aquilo que não permita outras interpretações.

Sobre mentiras

Nunca diga que não conhece ninguém no país se um amigo estiver te esperando na porta do aeroporto; nunca diga que veio apenas fazer turismo se estiver carregando 5 mil dólares no bolso (diga “vim fazer turismo e compras”); nunca diga que irá ficar em hotel se for ficar na casa de amigos e nunca diga que é dentista se for estudante de odontologia.

Tenha os comprovantes em mãos

Nada mais comum do que pedirem que você mostre o dinheiro trazido na viagem ou cartões de crédito. Se você decidir levar cartões pré-pagos, não deixe de levar também os recibos de depósito. Lembre-se: não é necessário ser rico para viajar, mas é necessário ter uma quantia que faça jus ao tempo de viagem e saber justificar a origem daquele dinheiro.

Não existe um valor mínimo estipulado por viagem, mas um orçamento inferior a 50 dólares diários pode causar estranhamento. Lembre-se que a quantia de dinheiro tem que ser proporcional ao seu tempo de viagem.

Se você for “patrocinado” durante a viagem por alguém que more no local visitado, tenha uma carta-patrocínio que explique a ausência de dinheiro.

Falando em carta, tenha sempre as reservas dos hotéis ou albergues guardadas, mas se for ficar na casa de amigos ou parentes, tenha então uma carta-convite.

Fique calmo

Nos Estados Unidos é comum encaminhar alguns passageiros para uma salinha enquanto informações são verificadas ou quando é impossível estabelecer comunicação. Mantenha a calma: “ir para a salinha” não é nada complicado.

Teoricamente, a aparência não deveria ser um fator decisivo na hora de considerar a entrada de turistas, mas é claro que a realidade é outra. Em “Refusal Shoes” (história romanceada de um agente de imigração inglesa que olhava para os sapatos dos passageiros antes de decidir se eles passariam ou não), o autor Tony Saint diz que é fácil olhar para alguém e saber se aquela pessoa é aquilo que diz ou se está interpretando um personagem. Ele cita os “empresários” que decidem conhecer Londres pela primeira vez no período de férias e chegam de terno e sapato sem falar uma única palavra em inglês.

Dica final:

Lembre-se de dizer apenas a verdade e tenha como comprová-la. Os oficiais de imigração seguem a máxima “if in doubt, keep them out”. Seja harmônico com suas respostas e mantenha-se organizado. Infelizmente os agentes de imigração possuem a autoridade de barrar qualquer passageiro, além de não existir reembolso pelas passagens compradas.

Anúncios

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s